1711
Pele seca: 4 sinais para se preocupar
5 de julho de 2016   //   Por:   //   Beleza, Mulher, Saúde e Bem estar   //   Sem comentarios

1711Por ser mais sensível, até a coceira pode ser preocupante para quem tem pele seca

A pele, quando seca, costuma ser mais sensível que as peles mistas e oleosas e está mais suscetível a inflamações e ao agravamento desses quadros. O motivo é que esse tipo de pele apresenta uma deficiência em sua camada de proteção natural, o que facilita o surgimento de alergias e infecções.

Essa camada protetora é o manto hidrolipídico, que fica na superfície da pele. “A pele seca tem naturalmente o manto hidrolipídico deficitário. E ela pode piorar com a umidade do ar mais baixa, tomando banho com água quente, esfregando a pele, não utilizando hidratantes adequados e outros fatores”, explica a dermatologista Carolina Reato Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

São diversos os problemas de saúde que podem estar relacionados à pele seca. Aprenda a identificar os sinais de que algo não vai bem com a sua pele e o que é possível fazer para resolver o problema.

Coceira

Mulher
Coceira é um sintoma de alerta para quem tem pele seca

A coceira é um sintoma rotineiro para quem tem pele seca, mas quando as pessoas se coçam acabam possibilitando que diferentes microrganismos entrem no corpo através da pele.

“A coceira deve ser controlada e a pele hidratada, às vezes até com cremes de ação anti-inflamatória”, ensina Meire Brasil Parada, dermatologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ou seja, a coceira é um dos fatores que influencia no aparecimento davermelhidão, descamação e até mesmo favorece o surgimento de feridas.

Em casos mais sérios, a coceira pode significar que a pessoa sofre de dermatite atópica, uma doença crônica que causa a inflamação da pele e afeta principalmente as dobras dos joelhos, cotovelos e o rosto, mas pode estar presente em outras partes do corpo.

A doença costuma se manifestar em crianças (antes dos três anos de idade) e impacta a qualidade de vida do paciente já que ele pode sofrer com úlceras com secreções e crostas na pele, entre outros incômodos. A dermatite atópica pode vir seguida deasma ou rinite alérgica.

É um quadro que merece muita atenção. Um dermatologista deve ser consultado para acompanhar o paciente e indicar hidratantes específicos para peles muito secas e irritadas.

Vermelhidão

A vermelhidão na pele é sinal de processo inflamatório, também estimulado pelo ato de coçar. Quando a pele ressecada apresenta essa condição é importante procurar um dermatologista, pois além do problema estético, a situação pode evoluir para condições que exigem mais cuidados, como a dermatite atópica.

Descamações

A descamação da pele pode ser desencadeada por vários fatores. O quadro pode ser mais simples, como o ressecamento temporário de uma parte da pele, ou mais severo, caso de doenças de pele como psoríase ou dermatite atópica.

“Em uma pele levemente ressecada é possível resolver este problema com um bom hidratante, que você passa e já percebe que a pele ficou mais hidratada. Agora, se a pessoa parar de passar o creme, esse sintoma vai evoluir”, explica Meire. A médica ressalta ainda a importância de se procurar um dermatologista para que o profissional possa avaliar a extensão do problema.

É importante saber que a pele seca é mais sensível e, para minimizar as chances de reações ou alergias, o hidratante deve ser específico para este tipo de pele e, de preferência, não conter corantes ou parabenos, substâncias que podem causar irritação cutânea.

Feridas

As feridas são um problema que pode ser mais grave na pele seca em comparação àpele oleosa por causa da dificuldade que a pele seca apresenta para realizar o processo de cicatrização.

Essa característica, segundo Meire, acontece porque “se há uma ferida ou crosta, as células novas vão ter mais dificuldade em migrar para a área da ferida e fechá-la quando a pele está seca. Se é usado alguma substância umectante, facilitará a migração das células e consequentemente a cicatrização da ferida”.

Sobre o autor :

Deixe resposta